sábado, 21 de janeiro de 2017

Museus, respeito ao patrimônio e acesso à história

casa de Chica da Silva
Foto tirada de uma das sacadas da casa que pertenceu a Chica da Silva (escrava que se tornou amante do contratador de diamantes a serviço da coroa portuguesa, João Fernandes de Oliveira, com quem teve treze filhos) e que hoje abriga um museu e espaço cultural. Em destaque a Serra dos Cristais e  a igreja de Nossa Senhora do Carmo. Note bem que, a torre dessa igreja foi colocada na parte de traseira, em contradição com as regras convencionais que determinam a introdução das torres na parte frontal. Segundo a lenda, foi um pedido de Chica, para que o barulho dos sinos não atrapalhassem o seu sono ...  

A imagem acima, postada nas redes sociais, com certeza despertara muitas curtidas e frases exclamativas por sua beleza. Mostra um belo casario colonial, uma igreja barroca e um espaço natural em forma de serra coberta por vegetação de cerrado. Para quem não identificou à primeira vista, trata-se de um fragmento da área urbana da cidade de Diamantina, na entrada para o Vale do Jequitinhonha, já a caminho para o norte de Minas .

No passado, a cidade que fora batizada pelos colonizadores portugueses com o nome de arraial do Tejuco, abrigou as mais valiosas minas de diamante das quais se tem notícia na história do Brasil. Algumas deram origem aos arraias e distritos do município que até hoje são visitados por aventureiros na cata da pedra reluzente. No livro Minha Vida de Menina, a autora relata sobre o hábito dos moradores  no final século XIX saírem  pelas ruas da cidade após uma forte chuva, na esperança de achar algum diamante trago pela enxurrada.

Cidades antigas como Diamantina são espaços da memória, museus a céu aberto e é visitando museus que se aprende sobre a história e a cultura. Entendo que toda cidade possui a sua história e mantém suas próprias bases culturais, dentro de um contexto maior que é o nacional. Porém, tenho sempre insistido aqui no blog em divulgar o que está à beira da extinção em Minas Gerais, que é o cenário construído nos séculos XVIII e XIX.

Segundo Cristina Ministerio* " (...) ainda tratamos mal a memória cultural do nosso país e os motivos tem suas raízes também na nossa cultura. Raras são as famílias que ensinam suas crianças a respeitara as coisas públicas; raras são as escolas que oferecem a seus alunos uma eficiente educação patrimonial. e as novas gerações seguem cometendo equívocos como: o que é público não é de ninguém, por isso não precisa ser cuidado, ou o que é antigo não serve para mais nada, por isso não precisa ser conservado."

Entender o patrimônio como um bem de interesse público e despertar  uma consciência clara do significado da  identidade cultural e da memória é uma obrigação de todos como cidadãos. Uma boa medida é o incentivo à visitação de museus, espaços públicos nas cidades, galerias de arte, participação em atividades artísticas e festejos tradicionais, dentre outras atividades.

E você, como percebe a necessidade ou não dessa interação? Você é do tipo que sente cheiro de mofo até quando se lembra dos seus professores de  História? Quero muito de saber a sua opinião.

* Editorial da revista AMAE educando, maio de 2009.

27 comentários:

  1. Olá Anabela
    Assunto muito bom abordado no seu post, olha, sinceramente, não são todos os museus ou espaços culturais que me atraem, não sou muito fã de arte moderna, aquelas esculturas, quadros que você não sabe o que é aquilo.
    Beijo.
    Gosto bastante do que é antigo, desde que seja bem conservado. Concordo com você, o brasileiro de uma maneira geral é sem cultura, não valoriza sua história, não tem interesse em preservar e cuidar do que é público, pelo contrário, muitos até ajudam a destruir.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Sou totalmente a favor desta interação e fico
    triste por ver tanto descaso com a história, ela faz parte
    de nós e não pode ser ignorada. É uma pena vermos hoje em dia
    fragmentos.
    Bjs


    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Anabela, museus são a preservação da nossa história, povo sem memória é inculto, e isso tem consequências. Os erros são repetidos. Há um museu extraordinário, sobre a escravidão no Brasil. Nossa história deve ser preservada. Gosto de suas postagens esclarecedoras. Só nos enriquece.
    Beijo, amiga!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia.
    Descobri este espaço por puro acaso, e fiquei encantada com este primeiro post, que no caso será o último que publicou.
    Gostei tanto que vou levar o link e passar a acompanhar futuros post.
    Em Portugal, não sabemos grande coisa da vossa história. Mas já por cá passou a história da Chica da Silva.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderExcluir
  5. Muito bem! Um texto que adorei ler.

    Beijos. Bom Domingo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro história e me interesso pelo assunto. É lógico que acho que deveria ter mais incentivo pra que nossa cultura mude e as pessoas tenham mais gosto em vistar museus e patrimônios históricos.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Nossa, isso é muito verdade ! Temo a péssima mania de não cuidar do público e não tentar salvar o antigo. Nosso país apesar de jovem tem muita história e Minas concentra bastante dela. Mas é como vc falou, se não educarmos nossas crianças e jovens é impossível mudar essa mentalidade.

    A foto é realmente de tirar o fôlego !!

    Adorei o post !!

    Bjus 1000

    ResponderExcluir
  8. Gostei da disciplina na escola e continuo a gostar de ler, ir a museus, saber e aprender mais. Por cá passou há alguns anos a série sobre a Chica da Silva e gostei.
    um beijinho

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito do foto e ler o texto....

    bejinhos

    :)

    ResponderExcluir
  10. Cheiro a mofo? Isso só das coisas que ficam fechadas e sem uso! :)
    Parabéns pelo blog. Didáctico, interessante e cultural.
    A foto está muito boa, a história da Chica da Silva passou por cá ma TV.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  11. QUe post interessante! Gosto de história, gosto muito e estou sempre a pesquisar e aprender, todos os dias tenho que ter aprendido algo para meu dia ter valido a pena! Beijos e me tornei sua seguidora. Muito bom seu blog!!

    ResponderExcluir
  12. Muito interessante a torre da Igreja do outro lado da casa.
    Por outro lado sou a favor e gosto de visitar todo o património recuperado e fico sempre feliz quando o fazem.
    Em muitas das nossas cidades e vilas isso acontece.
    Beijinhos e boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  13. Olá, imagem linda.Muito triste a falta de respeito que o Brasil tem com se património. Eu te desejo uma boa semana!

    ResponderExcluir
  14. Pienso que la educación debe ir encaminada hacía la admiración y el respeto hacia ese patrimonio que atraerá la visita de miles de personas que sienten ese interés por él.
    La ciudad de los diamantes tiene que ser preciosa.
    Algo poco común, que me ha sorprendido, es la colocación de la torre en la parte de atrás de la iglesia.
    Agradezco mucho tu visita a mi espacio.
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  15. Obrigada pelas palavras deixadas no meu "Ortografia". Passarei aqui outras vezes.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Oi Anabela,
    Adoro Museus e história e passei este gosto para minha filha. Infelizmente o nosso patrimônio é muito mal cuidado e não vejo isto como culpa somente do cidadão, pois não dá para cobrar que não se jogue lixo nas ruas se o governo não providenciou lixeiras públicas e limpas diariamente. Primeiro temos que cobrar lixeiras e limpeza urbana, não acha?
    Eu li "Minha Vida de Menina" e adorei.
    Bjs
    GOSTO DISTO

    ResponderExcluir
  17. Olá Anabela,

    Muito interessante este seu espaço, destacando e divulgando as riquezas de nossa Minas gerais. Cultura geral somente enriquece.
    Não conhecia o detalhe da torre da Igreja Nossa Senhora do Carmo.Talvez porque nunca fiz um passeio turístico ao local. A velha história de que "santo de casa não faz milagres"-rs.
    Gostei muito da oportunidade de conhecer o seu blog.
    Obrigada pela visita ao meu recanto!

    Feliz semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  18. Oi Anabela! Não conheci Diamantina! Estava já com o carro pronto pra zarpar pra lá quando um temporal desabou e tivemos que abortar essa linda visita! Passei 25 dias em MG e, apesar de não ter conhecido tudo o que eu queria, conheci muuuuita coisa bonita e, claro, comi muito pão de queijo e goiabada cascão! rs rs rs Na escola minhas matérias favoritas sempre foram História e Geografia. Bjks e uma semana abençoada! Tetê

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Conhecer um pouco de história sempre nos enriquece, achei interessante sobre a torre da igreja. Já morei perto de um, onde o sino tocava algumas vezes ao dia, eu sempre adorei ouvir suas badaladas.
    Um abraço,
    Sônia.

    ResponderExcluir
  20. Eu e a minha família adoramos visitar locais históricos.
    Belíssima fotografia
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  21. Há que preservar o passado... já que foi ele que nos abriu caminho até ao momento presente...
    Um post super interessante! Chica da Silva... Lembro de ter acompanhado um pouco da história há alguns anos atrás... através de uma das novelas/séries da Globo... e adorei na altura! Mas nada como ver ao vivo estes lugares, carregados de história... e histórias!
    Deixando um beijinho e grata pela simpática presença, por lá no meu canto em artandkits.blogspot.com e já estamos seguindo seu blog, pois claro!...
    Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir
  22. É uma fotografia muito bonita, sim.

    Eu gostava de poder visitar mais museus mas são caríssimos.

    ResponderExcluir
  23. Lindo poste, menina. Aqui da pra matar um pouquinho da nossa Minas. Estou seguindo voce aqui no blog.
    Bjus. Rose.

    ResponderExcluir
  24. Lindo poste, menina. Aqui da pra matar um pouquinho da nossa Minas. Estou seguindo voce aqui no blog.
    Bjus. Rose.

    ResponderExcluir
  25. Preservação do passado é uma dificuldade no Brasil. Os jovens não se interessam e não são motivados pelo interesse. É um assunto complexo, por aqui, mas a postagem é ótima, especialmente, pela forma que o tema foi abordado.
    A palavra museu aqui, desperta algo negativo, a começar assim! Então...
    A foto é bela e gostei de saber sobre a torre da igreja.
    Um beijinho Anabela e dias felizes.

    ResponderExcluir
  26. Pois é Anabela, eu vejo isto aqui no Centro Histórico de Salvador, de como a historia fica em segundo plano.Cada canto deste centro tem uma historia, cada rua, cada beco,cada praça carrega historias, mas que pelas empresas de turismos são relegadas em nomes de Shows ou às praias.O pelourinho é um banho de historia e mesmo os baianos ignoram pela ignorância mesmo e as escolas pecam. Esta pagina de nossa historia não poderia ser tão abandonada, como se tivessem vergonha de conta-la.
    Em Minas outro palco da historia deste Brasil, ainda temos um certo cuidado com a memória, mas ainda muito tem que andar como fazem os europeus em preservação. Mas sei que muito tem feito inclusive por pessoas como você num trabalho de formiguinhas. Diamantina há de ser preservada e assim incrementar a Estrada Real em toda sua extensão.
    Bonito texto e reflexão de nossa participação neste processo.
    Meu terno abraço.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Seja benvindo e volte sempre!